Avianca Linhas Aéreas

Fundada em 1998 como OceanAir, nome que foi mantido até 2010, e que ainda mantém a razão social como OceanAir, uma companhia de aviação comercial, sediada em São Paulo.

A Avianca Linhas Aéreas deu início às suas atividades como táxi-aéreo, com clientes como executivos, operários da indústria petrolífera de Macaé e também de Campos no Rio de Janeiro, recebendo apenas em 2002 a autorização para operar em linhas.

Avianca então passou a atender em cidades rejeitadas por sua antiga parceria, trabalhando então com transporte regional e então anos depois ampliando.

Avianca

Conheça mais sobre a Avianca Linhas Aéreas abaixo:

História

A Avianca começou sua história com o recebimento de uma dívida, em 1998, quando um devedor que utilizava os serviços da então Ocean Air de táxi-aéreo, receberam dois aviões como pagamento de uma dívida de um dos clientes.

Os aviões de pequeno porte eram então utilizados para transportes da equipe da empresa entre o Rio de Macaé, além também de carona para amigos. Dessa forma, surgiu uma oportunidade de negócio e a empresa Ocean Air iniciava seus trabalhos no meio de transporte aéreo.

Em 2002 a Ocean Air já era uma empresa participante do mercado de aviação brasileiro, com voos regulares.

Em 2004 a empresa adquiriu a Avianca Colombia, a empresa de transporte aéreo mais antiga do mundo inteiro passando alguns anos depois a utilizar apenas o nome Avianca, e em 2010 passando a ser reconhecida como Avianca Brasil.

As operações realizadas pela Avianca Colombia são totalmente independentes das operações realizadas pela Avianca Brasil, que como citado anteriormente ainda mantém sua razão social como Ocean Air.

Frota

A OceanAir ou Avianca Linhas Aéreas do Brasil passou por um crescimento um tanto complicado, tendo até seis modelos diferentes de aviões para realizar as mesmas rotas em um mercado que indica o uso de uma frota padrão para redução de custos de treinamento de tripulação e também redução dos gastos com manutenção.

A empresa então precisou reorganizar sua frota, apenas utilizando modelos Fokker 100, que não eram bem vistos no país por conta de acidentes, principalmente ocorridos com a empresa TAM.

A Avianca Linhas Aéreas então começou a utilizar o nome MK 28 para os aviões, que foram utilizados pela empresa até 2013 quando passou a receber os aviões da Airbus, modernos e claro, modelos totalmente econômicos.

Entretenimento

O responsável pela Avianca Linhas Aéreas investiu no serviço de bordo diferenciado para conseguir entrar na competição com as principais concorrentes, os aviões da companhia oferecem aos seus passageiros telas individuais para entretenimento a bordo, lanches quentes e outros diferenciais.

A companhia de transporte aéreo também não cobra pelo despacho das bagagens, enquanto suas maiores concorrentes Gol e LATAM deram início às cobranças assim que a ANAC divulgou as novas regras, sendo necessário que a empresa cedesse três meses após a decisão da Agência Nacional de Aviação.

Quarta maior companhia aérea do País

Atualmente, a Avianca Linhas Aéreas é considerada como a quarta maior companhia de transporte aéreo do país, com uma participação de pouco mais de 13% no mercado de aviação doméstica.

A empresa já transportou um total de mais de 9,7 milhões de passageiros nos primeiros meses do ano de 2019.

Recuperação Judicial

Em 2018 a empresa passou por uma grande expansão, com rotas nacionais e internacionais em voos para Miami e Nova Iorque e também Santiago no Chile, operando em voos doméstico também, como por exemplo para Belém, no Pará.

Infelizmente, no final deste mesmo ano a Avianca Linhas Aéreas solicitou recuperação judicial em São Paulo, com objetivo de renegociar suas dívidas que já superam R$ 1 bilhão, evitando assim a perda de aeronaves para as empresas para as quais deve.

Duas empresas, ainda no ano de 2018, entraram na justiça contra a Avianca Linhas Aéreas exigindo o pagamento de 11 aviões que foram arrendados.

Além disso, a companhia de transporte aéreo já acumulava prejuízos anteriores, e uma decisão judicial impediu que a empresa tirasse essas aeronaves do chão, sofrendo busca e apreensão das mesmas até que ocorresse a devolução aos proprietários e credites, afetando diversos passageiros além claro da empresa, que sofreu uma boa redução em sua frota.

Já no início de 2019, A Azul Linhas Aéreas se interessou na compra de parte das operações da companhia aérea, além também dos direitos de pouso e descolagem da mesma.

Com esses direitos vendidos à Azul Linhas Aéreas, a Avianca Linhas Aéreas passaria a ser dividida em duas partes para recuperação judicial da mesma. De acordo com a companhia aérea, seus ativos seriam leiloados, onde empresas além da Azul poderiam realizar a compra.
LATAM e GOL também ofereceram valores para a compra da Avianca, mas nenhuma empresa que se interessou, realizou a compra dos ativos.

Com isso, diversos voos passaram a ser cancelados no país, como resultado da tomada de parte da sua frota, com previsão de devolução de 29 aviões para os credores da Avianca Linhas Aéreas.

A empresa recebeu o voto para declaração de falência, aguardando ainda, as demais decisões judiciais.

Leave a Reply